Próximas semanas são cruciais para acordo na OMC, diz Schwab

As longas conversas sobre aabertura do comércio mundial terão momentos cruciais naspróximas semanas, mas um acordo só seria alcançado no final doano se as principais potências do comércio assim o quiserem,disse a representante comercial dos Estados Unidos no sábado. Susan Schwab disse à Reuters que os EUA estão entre ospaíses que desejam um acordo, mas ela teme que algumas naçõesestejam buscando desculpas para que isso não ocorra. A rodada de Doha, iniciada no final de 2001, estáparalisada há anos por diferenças entre os países ricos epobres sobre o corte de subsídios à agricultura e indústria. Mas Schwab disse que as negociações nos últimos oito mesestêm sido bem-sucedidas para eliminar algumas diferenças nascomplexas preocupações técnicas que cercam a abertura docomércio mundial. "As próximas semanas e meses serão decisivos para saber sevamos ou não chegar a um acordo", disse ela durante o FórumEconômico Mundial, em Davos. Ministros de comércio de muitos países têm mantidoencontros bilaterais em Davos. "O presidente (norte-americano George W. Bush) estácompletamente comprometido em que a rodada de Doha sejabem-sucedida em 2008", afirmou Schwab. "Há um senso de urgência sobre o que vai acontecer com aeconomia mundial. Nós precisamos ser otimistas." As palavras dela ecoam com uma série de comentários deoutros representantes comerciais. Na sexta-feira, o ministrobrasileiro de Relações Exteriores, Celso Amorim, disse ter asensação de que há um clima positivo para tentar concluir asnegociações da rodada de Doha. O Brasil --emergente potência mundial na agricultura-- é umdos líderes nas negociações em nome dos países emdesenvolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.