Proximidade do Natal não anima consumidores, apura Fecomércio

Mesmo a proximidade do Natal não aumenta a disposição dos consumidores para as compras. Pesquisa da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio SP) indica que 48,44% dos entrevistados não pretendem adquirir bens neste mês, nem em novembro. O número é semelhante ao de setembro (48,89%), mas inferior ao de outubro de 2002 (49,33%). Entre aqueles que têm intenção de compra, o automóvel é o bem preferido, seguido pelo aparelho celular. A mesma pesquisa registrou que o Índice de Intenções do Consumidor (IIC) apontou uma queda de 2,64% em outubro, na comparação com setembro. Esta é a segunda vez, neste ano, que o indicador da Fecomércio-SP ficou abaixo de 100 pontos, considerada zona de pessimismo, pela entidade. O IIC é medido mensalmente por meio de entrevistas com 900 consumidores da região metropolitana de São Paulo. Neste ano, o único resultado abaixo de 100 pontos foi apurado em março, quando o IIC ficou em 97,85 pontos. A queda no Índice de Intenções do Consumidor foi motivada, principalmente, pela piora na expectativa do futuro, que é um dos componentes do indicador. Em outubro, esta estimativa ficou 3,99% abaixo de setembro. O principal fator negativo que vem contribuindo para a preocupação dos consumidores é o desemprego elevado. Esta foi a causa mais citada pelos entrevistados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.