PT vota a favor da prorrogação da CPMF, diz Genoíno

O vice-presidente do PT, deputado José Genoíno, disse hoje que o partido votará favoravelmente à prorrogação da cobrança da Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira (CPMF) também no segundo turno. Segundo ele, a exemplo do primeiro turno, o PT votará a favor porque o partido fez uma emenda na qual a CPMF deverá se tornar, a partir de 2004, uma alíquota simbólica somente para efeito de combate à sonegação de impostos. Em entrevista à Rádio Eldorado AM/SP, o virtual candidato do PT ao governo do Estado de São Paulo declarou que outro motivo que pesou consideravelmente na decisão do partido foi o caos que a falta dos recursos gerada pela CPMF poderia provocar no País."Estamos vivendo um momento grave, com uma sucessão bastante radicalizada. Qualquer que seja o resultado da eleição, se nesse intervalo entre 2002 e 2003 houver um rombo de R$ 18 bilhões no orçamento, que é exatamente o que representa a receita da CPMF, isso pode resultar numa grave crise para o País. Por essa e outras razões, o PT votou favorável no primeiro turno e vai manter essa posição também no segundo turno". Genoíno também aproveitou a oportunidade para criticar duramente o PFL, que decidiu sair, na semana passada, da aliança política que apóia o presidente Fernando Henrique Cardoso. Para o deputado, o PFL, na verdade, não faz oposição, não rompeu para valer com o governo e também vai votar a favor da prorrogação da CPMF no segundo turno. "Isso é um jogo de esconde, é um jogo de faz-de-conta. O PFL sai do ministério mas não entrega todos os cargos, critica o governo mas poupa o presidente Fernando Henrique Cardoso para poder negociar com ele, diz que é independente mas nas questões centrais vota com o governo. Não é da natureza, não é do ´DNA´ do PFL fazer oposição ao governo, é um partido que sempre se relacionou com o poder. Esses discursos, nos momentos de crise, viram fumaça".?O PFL não vira oposição?O deputado petista acredita ainda que o PFL vai continuar negociando com o governo, não só no caso da aprovação da prorrogação da cobrança da CPMF até 2003 como também em outras questões centrais. Na sua avaliação, se a candidatura da governadora Roseana Sarney à Presidência da República não decolar, a agremiação deverá inclusive voltar ao ´ninho tucano´. "Geraram muitas feridas, ainda há muitas mágoas e elas vão continuar, mas nós não podemos achar que o PFL virou oposição. O PFL não vira oposição", profetizou Genoíno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.