Público diz ''sim'' a protecionismo

Durante um painel sobre a ameaça do protecionismo, ontem, no Fórum Econômico Mundial, o público foi chamado a responder se os países devem proteger seus produtos durante a crise. As respostas, mostradas num telão, davam 60% sim; 24% não; 16% não tenho certeza. Os debatedores - o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Pascal Lamy, a negociadora comercial da União EuropEIa, baronesa Ashton of Upholand, e o chanceler brasileiro Celso Amorim - continuavam a discussão sem notar os números. Quando se deram conta, concluíram que a pergunta foi mal formulada e a pesquisa foi encerrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.