Puma desenvolve modelo para avaliar ganhos e perdas

Um modelo pioneiro de incorporação do valor ambiental da matéria-prima na decisão dos negócios foi desenvolvido pela empresa de produtos esportivos Puma. Em 2011, a marca lançou o projeto de Conta de Ganhos e Perdas Ambientais, de modo a calcular, gerenciar e reduzir o impacto ambiental deles.

O Estado de S.Paulo

17 de março de 2014 | 02h07

A ideia foi atribuir um valor monetário ao impacto ambiental das operações da empresa e de toda a cadeia de suprimento. Esses cálculos passaram a influenciar as tomadas de decisões sobre quais materiais usar ou com quais fornecedores contar.

Depois, levou as informações ao conhecimento do público. O modelo ainda não chegou ao Brasil, mas em lojas na Europa, etiquetas informam a pegada de carbono do tênis ou quanto usou de água. É possível comparar com modelos tradicionais, que não levaram os impactos em conta na produção. / G.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.