Quadrilha movimentava R$ 1 mi em fraudes pela internet

O Ministério Público Federal em Uberaba, no Triângulo Mineiro, denunciou hoje 51 pessoas envolvidas em esquemas de fraude pela internet. As vítimas eram usuários de sistemas bancários online. A estimativa, segundo o MPF, é de que a quadrilha subtraía cerca de R$ 1 milhão por mês de correntistas em todo o País. Segundo a denúncia, de 340 páginas, os acusados cometeram crimes como furto qualificado, corrupção de menores, quebra de sigilo bancário e quebra de sigilo de operações financeiras.Diferente do que ocorre na maior parte das fraudes do gênero, os dados dos usuários na internet eram infectados não somente pela abertura de e-mails falsos, próprios para a captura de informações. A quadrilha desenvolveu, também, um programa que infectava os próprios sites acessados."Tal programa tornou desnecessário que a vítima abrisse qualquer e-mail falso, baixasse arquivo ou abrisse qualquer programa contaminado, uma vez que bastava o acesso à página contaminada, situação que permitia à quadrilha atacar até mesmo os usuários mais cautelosos que não abriam e-mail de procedência duvidosa e não baixavam arquivos na internet", diz a denúncia.Em posse desses dados, os integrantes transferiam o dinheiro das vítimas para conta de "laranjas". Segundo nota do MPF, essas pessoas "emprestavam suas contas para receber e/ou transferir o dinheiro furtado, pagar contas, títulos ou boletos de beneficiários do esquema criminoso, além de efetuar saques em caixas automáticos, bancos 24 horas, lotéricas e na boca do caixa".O Ministério Público conseguiu chegar à quadrilha por meio da prisão do hacker Diego de Oliveira Palhares, em janeiro de 2007. Foram lesados clientes de diversos bancos que possuem operação via home banking, como Bradesco, Nossa Caixa, Banespa Santander, Itaú, HSBC, Unibanco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.