Quadrilha sonegava impostos no Ceará

Um escritório de contabilidade de Fortaleza negociava, segundo a Polícia Federal (PF), o pagamento de propinas entre empresas e servidores públicos da Receita Federal, Secretaria da Fazenda e Junta Comercial do Ceará. Ontem, a Polícia Federal deflagrou a "Operação Estorno" com o objetivo de desarticular a quadrilha especializada em crimes contra a ordem tributária, corrupção passiva e ativa. A PF não revelou os nomes dos suspeitos e nem das empresas investigadas. Dos 12 mandados de prisão temporária e outros 20 de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal, apenas dois não foram cumpridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.