Quais os riscos da previdência privada?

Para o participante de um plano ou fundo de previdência privada, o maior risco é a falência da instituição administradora. Teoricamente, as empresas administradoras são obrigadas a separar seu próprio dinheiro daquele pertencente aos participantes de planos e fundos de previdência. Cabe à Susep (Superintendência de Seguros Privados) a fiscalização destas empresas, para ver se as regras estão sendo seguidas. Mas sempre existe a possibilidade de fraudes e, em caso de falência, não há garantia de devolução do valor acumulado pelo poupador.Outro risco é o de perdas em investimentos feitos. É o que ocorre se a empresa administradora investir em ações que venham a ter grande desvalorização, ou em títulos de renda fixa não honrados pelo banco ou empresa emissora. Daí a importância de escolher um administrador com muita experiência, para que a escolha dos ativos seja a melhor possível. Para reduzir estes riscos, a legislação estabelece alguns limites para o administrador investir em ativos de renda variável e outros ativos de risco.É importante que o poupador saiba que, se estiver desconfiado ou descontente com a instituição administradora durante o período de acumulação, ele poderá mudar de empresa, transferindo seus recursos para outra instituição de previdência privada, sem nenhum custo adicional. Esse direito (portabilidade) deixa de valer no período de recebimento de benefícios, quando não será mais possível mudar de instituição.Para outras informações relacionadas à previdência privada, consulte os links abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.