Quais são as futuras blue chips

MMX, Redecard, Santander e VisaNet disputam lugar entre as grandes companhias no mercado de ações

Yolanda Fordelone, O Estadao de S.Paulo

17 de agosto de 2009 | 00h00

Asegunda prévia do Ibovespa deve ser divulgada nesta semana, com a inclusão das ações da mineradora MMX no principal índice da Bolsa paulista, que vai vigorar de setembro a dezembro. Estar no Ibovespa não significa que os papéis sejam considerados, automaticamente, de primeira linha - ou blue chips, no jargão do mercado. Mas especialistas acreditam que as ações da mineradora estão a meio caminho de alcançar esse status, já que devem ganhar, no futuro, maior participação no índice. Além da MMX, fusões e incorporações de empresas, assim como ofertas públicas feitas neste ano, apontam para outras candidatas ao seleto grupo das blue chips.Os especialistas avaliam que empresas que ingressam no mercado por meio de oferta pública de grande valor largam em boa condição. Neste grupo estão os papéis da VisaNet, Redecard e Santander. As outras candidatas são as resultantes da união dos papéis da BRFoods e Sadia (esta, com ações ainda no pregão) e da VCP e Aracruz.É fácil entender a preferência dos investidores por blue chips. O contador Josimar dos Santos, que se considera cauteloso, prioriza as ações de primeira linha: seis das oito de sua carteira são blue chips. "Esses papéis se recuperam mais rapidamente em momentos de crise", explica.Para entrar nesse clube, há requisitos. "A empresa precisa ter um volume grande de negociação, além de ser importante no setor", indica o professor de finanças da Fundação Getúlio Vargas, William Eid Junior. O ideal é um volume médio diário a partir de R$ 100 milhões. Quantidade significativa de ações em negociação na Bolsa e atuação internacional também são essenciais. "As ações da MMX entram já com uma participação considerável para uma estreante (no Ibovespa), com peso semelhante ao da Vivo e B2W", diz o analista-chefe da XP Investimentos, Rossano Oltramari. Nos últimos meses, investidores teriam feito muitas operações de arbitragem entre as ações da Vale e MMX, por serem do mesmo setor. ENTENDAArbitragem - Operações simultâneas de compra e venda de ativos semelhantes, em busca de distorções de preço que resultem em ganhos para o investidor. Oferta pública - Lançamento de ações de empresas em Bolsa de Valores, que pode envolver ou não ampliação de capital da companhia no mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.