André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Quando pesquisas mostrarem apoio da sociedade a pontos da reforma, teremos mais de 300 votos

Maia evitou falar em prazos e relativizou um eventual atraso na tramitação da proposta

André Ítalo Rocha, Daniel Weterman, Mateus Fagundes e Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2019 | 14h27

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), evitou nesta sexta-feira, 5, estimar o apoio à reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro na Câmara, mas ressaltou que o apoio entre os parlamentares somente virá quando houver respaldo na sociedade às mudanças nas aposentadorias.

"Quando pesquisas mostrarem apoio da sociedade a pontos da reforma, teremos mais de 300 votos. Eu lhe garanto que teremos muito mais que 300 votos quando isso acontecer", afirmou o deputado durante o 18 Fórum Empresarial LIDE, em Campos do Jordão (SP).

Maia evitou falar em prazos e relativizou um eventual atraso na tramitação da proposta. "Se atrasar um dia ou um mês na reforma, não fará diferença, porque impacto é para 2020", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.