Divulgação
Divulgação

'Quando você tem apenas uma chance, não pode falhar', diz sócio da Soap

Entrevista: Eduardo Adas, sócio-fundador da Soap - State Of the Art Presentations

O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2015 | 02h03

A brasileira Soap (State Of the Art Presentations) foi criada em 2003 com uma missão: transformar apresentações no Power Point, que tinham tudo para ser entediantes, em eventos criativos e marcantes, que dessem resultado para seus clientes. Em 12 anos, com essa proposta, a companhia atraiu milhares de clientes no Brasil e em outros 20 países. A Soap tem em seu portfólio nomes como Itaú, Avon e Microsoft. O foco sempre foram os executivos de alto escalão das empresas, mas neste ano, ela resolveu expandir sua área de atuação.

Vocês criaram um novo produto?

Percebemos que havia uma demanda nas empresas para treinar a base da pirâmide, profissionais com nível de gerência, por exemplo. Eles também se veem, no dia a dia, em situações decisivas, em que uma apresentação bem executada pode fazer a diferença: seja na hora de negociar um novo contrato ou de transmitir uma mensagem para a equipe em uma reunião interna.

Mas o atendimento que vocês oferecem é bem exclusivo, personalizado. Como resolveram isso?

Desenvolvemos um curso de Ensino à Distância (EAD). Levamos dois anos em cima de projeto, porque não queríamos trabalhar com o formato de vídeo aulas e tínhamos a convicção de que boa parte do conhecimento se daria na prática. O produto final é um curso com pílulas de conhecimento e atividades que são executadas pelos alunos. Esse é um produto que oferecemos, por enquanto, só para empresas.

Em tempos de crise, será fácil oferecer um novo produto?

Acreditamos que, em momentos difíceis, a comunicação corporativa é ainda mais importante. Quando você só tem uma chance para apresentar sua ideia, não pode falhar.

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo entrevista Soap

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.