Quando Wall Street compra briga com o Vale do Silício

A batalha entre o investidor Carl Icahn e o empreendedor Marc Andreessen sobre a cisão do PayPal do eBay

Andrew Ross Sorkin, The New York Times, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2014 | 02h10

Neste conflito, Wall Street se defronta com o Vale do Silício. Uma das batalhas mais acirradas travadas entre empresas, nestas últimas semanas, está ocorrendo entre Carl C. Icahn, investidor ativista, e Marc Andreessen, o empreendedor que se tornou investidor na área de tecnologia.

Icahn move um campanha para que o eBay faça a cisão de sua unidade de pagamento eletrônico PayPal, que apresenta um bom crescimento. Andreessen, um dos fundadores do Netscape e um dos investidores do Facebook, vem sofrendo ataques por ser do conselho do eBay.

Icahn afirma que a decisão do eBay de vender o Skype, em 2009, por US$ 2,75 bilhões a um grupo de investidores que incluía a empresa de venture capital de Andreessen, representou um caso de conflito de interesses e de não cumprimento do dever para com os acionistas.

Andreessen retrucou que ele próprio rejeitara a decisão de vender o Skype. O grupo de investidores que adquiriu o Skype, liderado pela empresa de investimentos Silver Lake, mudou de ideia menos de dois anos mais tarde, e vendeu a empresa por US$ 8,5 bilhões à Microsoft. O que provocou uma indagação: por que o eBay o vendeu naquela época? Icahn sugeriu que Donahoe e o conselho foram pressionados a vender o Skype por Andreessen, que, segundo Icahn, sabia que a Microsoft esperava para comprar o que considerava um ativo valioso por um preço mais elevado.

A história verdadeira é mais complicada. Em primeiro lugar, o eBay adquiriu o Skype por cerca de US$ 2,5 bilhões. O Skype estava numa situação tão confusa - e tão fora de lugar na lucrativa operação de leilões do eBay - que a companhia reduziu o valor contábil do investimento em US$ 1,4 bilhão em 2007. Em 2009, Donahoe, ex-consultor da Bain & Co., decidiu que o Skype deveria ser vendido ou desmembrado.

Entretanto, dada a recessão que se seguiu à crise, apresentaram-se poucos compradores. Além disso, o eBay decidiu manter uma participação de 30% no Skype para participar da valorização - ou desvalorização - da empresa no futuro.

Hoje, Icahn afirma que o eBay não administrou a venda de maneira competente, e os acionistas perderam aproximadamente US$ 4 bilhões.

Mas há um fato: Desde que o eBay anunciou seu interesse pela venda do Skype, o valor de mercado do eBay saltou US$ 29 bilhões (195%). Embora o eBay possa ter deixado de ganhar US$ 4 bilhões, na verdade, a quantia foi compensada abundantemente pelo aumento do valor de mercado da companhia. Portanto, será que Andreessen influiu indevidamente na decisão do conselho de vender o Skype ao consórcio de investidores? Não.

Isto não significa que uma companhia que vende uma empresa a um grupo de investidores entre os quais se inclui um dos membros do seu conselho deva ser aplaudida.

PayPal.O debate sobre o papel de Andreessen não esclarece uma questão mais importante: O PayPal deveria continuar fazendo parte do eBay, ou seria mais bem-sucedido separadamente? Icahn pode ser avesso à tecnologia, mas, quando se trata de investir, ele tem tino. E tem um financiador poderoso e improvável para suas ideias: Elon Musk, o empreendedor que ajudou a fundar o PayPal e agora dirige a Tesla e a SpaceX.

"Não faz sentido que uma empresa de pagamentos globais seja subsidiária de um site de leilões", disse Musk à revista Forbes. Para Musk, o PayPal "será esmagado pela Amazon ou por outros sistemas como a Apple e mesmo por startups se continuar fazendo parte do eBay". "Carl Icahn se dá conta disso, e ele não é exatamente um super gênio da tecnologia."

Já Reid Hoffman, fundador do LinkedIn e um ex-executivo do PayPal, concorda com a visão do eBay de que o PayPal vale mais como parte da companhia do que separado, principalmente considerando as poderosas tendências entre concorrentes.

Qualquer que seja a resposta correta no que se refere à separação do eBay e do PayPal, há argumentos válidos de ambas as partes. Talvez uma cisão seja inevitável a longo prazo. Enquanto isso, vamos manter os debates sobre fatos concretos. /TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.