Quantidade de leilões de compra de dólares depende do fluxo, diz Meirelles

Passada a capitalização da Petrobrás, o BC reduziu o número de atuações no mercado à vista e realizou apenas um leilão na segunda-feira, 27

Daniela Milanese, da Agência Estado,

28 de setembro de 2010 | 11h36

A quantidade de leilões para a compra de dólares dependerá da intensidade do fluxo cambial, afirmou há pouco o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Passada a capitalização da Petrobrás, o BC reduziu o número de atuações no mercado à vista e ontem realizou apenas um leilão.

Meirelles lembrou que a estratégia do BC tem sido comprar o equivalente à entrada líquida de dólares, que subiu fortemente devido à operação da Petrobrás. Meirelles deixou em aberto as possibilidades de atuação daqui para frente, ao recordar também que a estrutura para a atuação do fundo soberano está pronta.

O presidente do BC não quis falar sobre seu futuro após o final do governo Lula. "Penso em fazer bem o que estou fazendo agora. Tomarei uma decisão no momento certo", afirmou, completando que não é adequado discutir o tema a poucos dias da eleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.