Quarentena será usada para definir futuro, diz Meirelles

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, disse ontem que usará "o período de quarentena" quando deixar a instituição para pensar no seu futuro pessoal. Foi dessa forma que ele respondeu a uma pergunta se voltaria à vida política na eventualidade de deixar o BC, candidatando-se ao governo de Goiás.Meirelles era deputado federal pelo PSDB de Goiás, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva o convidou para assumir a presidência do Banco Central. "Existe aparentemente uma curiosidade sobre qual seria a minha atividade depois que eu sair do Banco Central em algum momento. A sério, eu diria que, para isso, o Banco Central tem a previsão de quarentena de quatro meses. E uma das finalidades da quarentena, além de outras, é permitir exatamente que o profissional possa nesse momento avaliar suas opções, o seu futuro, e, a partir daí, tomar suas decisões."Meirelles disse que era um "homem muito disciplinado" e uma das características dessa disciplina é, no momento, ser presidente do Banco Central. "Estou dedicado a isso e vou pensar nesse assunto durante a quarentena." Para ser candidato ao governo de Goiás nas eleições de 2010, Meirelles terá de se filiar a um partido político até o fim de setembro de 2009. Este é o momento em que ele provavelmente deixará o governo Lula. O PTB já ofereceu a Meirelles a legenda para que ele se candidate ao governo goiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.