coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Quase 30% das lojas não atendem ao Código do Consumidor

A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, encontrou irregularidades em 113 das 392 lojas de shoppings e de centros comerciais na capital paulista, ou seja, em 28,8% dos estabelecimentos visitados. A operação, denominada Dia dos Namorados, fiscalizou, entre os dias 22 e 30 deste mês, seis shoppings centers e um centro comercial com objetivo de coibir ações irregulares e desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor.Segundo o Procon, foram registradas 144 infrações. Entre as de maior incidência estão a falta de informações sobre preços, principalmente nas vitrines; a não aceitação de cheques de contas recentes; e a exigência do cartão do banco e de um valor mínimo para pagamentos em cheques. As lojas responderão a um processo administrativo e poderão ser multadas em até R$ 3,1 milhões.Conforme avaliação do órgão, o shopping Anália Franco foi o campeão em irregularidades, apresentando 17 dos 54 estabelecimentos visitados em desacordo com o Código de Defesa do Consumidor. Já no shopping Center Norte, os fiscais do Procon-SP encontraram irregularidades em apenas 7 das 62 lojas visitadas, proporcionalmente o menor número contabilizado. Este texto foi atualizado às 14h05.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.