Quase 81 mil pessoas perderam benefício, diz Previdência

O governo federal divulgou nesta quarta-feira uma lista com 80.989 nomes de aposentados e pensionistas que tiveram seus benefícios suspensos por não realizarem o recadastramento no Censo Previdenciário. Clique aqui para conferir o documento.O bloqueio do benefício será válido já a partir do pagamento de março, a ser depositado nos cinco primeiros dias úteis de abril. Para não perder o dinheiro, o aposentando ou pensionista deve atualizar o seu cadastro na agência bancária que recebe o pagamento. Após 13 dias, o benefício será liberado. O estado que mais teve benefícios suspensos foi São Paulo, onde 15.662 pessoas deixaram de receber. Rio de Janeiro vem atrás com uma diferença razoável: 9.401. Em seguida figurou Minas Gerais, com 6.961 de pagamentos bloqueados. Em contrapartida, no Estado de Roraima apenas 86 aposentados e pensionistas tiveram seu pagamento suspenso. A Previdência começou a convocar para o Censo em outubro do ano passado. Fora chamados cerca de 2,4 milhões de pessoas, que, segundo o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), eram mais vulneráveis à eventuais fraudes por terem cadastros com informações incompletas. De acordo com a Legislação, o governo deve realizar o Censo Previdenciário a cada cinco anos. DocumentosOs documentos obrigatórios para fazer o Censo são o Cadastro de Pessoa Física (CPF) e um documento de identificação, que pode ser a própria Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), Passaporte, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou registro de conselho profissional. O INSS recomenda, também, que o beneficiário apresente um comprovante de residência e o Número de Inscrição do Trabalhador (NIT).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.