coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Quase metade da população acredita em estabilidade da inflação

A Pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta sexta-feira pela Confederação Nacional da Indústria, registra um índice recorde entre os entrevistados que acreditam que a inflação vai manter-se no nível atual, nos próximos seis meses. O número dos que fazem esta previsão subiu de 40% em junho para 48% em julho.Segundo a CNI, esse resultado se deve, principalmente, à migração de opiniões daqueles que achavam, em junho, que a inflação iria aumentar. Nesse quesito, o número caiu de 36% para 27%.Também o número de entrevistados que acham que vai haver uma diminuição da inflação nos próximos seis meses subiu, de 1% em junho apara 16% em julho.Desemprego A pesquisa registrou, também, seu patamar mais baixo, desde março de 2003 - quando foi feita a primeira rodada no governo Lula -, na avaliação daqueles que acreditam que haverá um aumento do desemprego nos próximos seis meses. Em junho, 45% dos entrevistados esperavam um crescimento do desemprego. Em julho, esse número caiu para 35%. O dos que consideram que não haverá mudança subiu de 28% para 37%, no período, enquanto o dos que esperam uma diminuição se manteve em 22%.Renda Segundo o levantamento, 49% dos entrevistados não esperam um aumento da renda geral nos próximos seis meses, enquanto 26% acham que ela vai aumentar e 19%, que vai cair.Em relação à renda pessoal, 52% não esperam mudanças, 29% apostam que ela vai aumentar e 12% esperam uma queda nos próximos seis meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.