JF DIORIO/ESTADÃO
JF DIORIO/ESTADÃO

Quase metade dos postos de combustíveis de SP vende produtos vencidos, diz Procon

Órgão encontrou grande quantidade de fluído de freio, aditivos e óleos lubrificantes fora da data de validade, o que causa riscos à segurança dos consumidores

O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2015 | 14h11

Atualizado às 14h57

SÃO PAULO - A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP) encontrou produtos vencidos em 166 de 371 postos de combustíveis fiscalizados no Estado de São Paulo entre junho e novembro deste ano, o que equivale a 44,7% do total. Segundo o órgão, chamou a atenção a quantidade elevada de fluído de freio, aditivos e óleos lubrificantes fora da data de validade.

"Como são manuseados pelos frentistas, os consumidores não observam o vencimento e pagam por um produto sem eficiência", disse o Procon, em nota.

Segundo o engenheiro mecânico e professor do departamento de engenharia mecânica do Instituto Mauá, Celso Argachoy, após o vencimento esses produtos passam a absorver umidade e perdem suas características. "Com a formação das bolhas, a resposta do freio fica comprometida", alerta. 

O engenheiro explica que o risco é ainda maior em descidas de serra, que exigem mais dos freios. O sistema superaquece e há a possibilidade de vazamentos, formação de mais bolhas e perda da eficiência. A sobrecarga nas lonas de freio causa vitrificação, levando a perda total do freio do veículo.

Para denunciar irregularidades, como produtos vencidos e faixas com preços menores do que os cobrados na bomba de combustível, o Procon-SP aconselha usar as páginas oficiais do órgão nas redes sociais. É preciso indicar a irregularidade, o endereço do estabelecimento e, se possível, uma foto comprovando a fraude. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.