Quase todos cheques sem fundos são pré-datados

O popular cheque pré-datado, invenção brasileira de prática largamente generalizada, é o responsável por 90% dos cheques sem fundos emitidos pelo entrevistados de uma pesquisa realizada pelo Instituto de Economia "Gastão Vidigal " da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), no mês de junho.O desemprego ainda foi apontado como a principal causa da emissão de cheques sem fundos por 43% dos entrevistados, seguido do descontrole de gastos com 15% das respostas. O presidente da ACSP, Alencar Burti, lembra da importância do varejo em adotar cautelas para o recebimento de cheque visando minimizar os prejuízos com relação aos cheques sem fundos. "Quando o cheque é pré-datado ocorre um transação financiada que exige maior rigor na análise para a concessão do crédito. Basta verificar que 62% dos emitentes deram cheques sem fundos quando já estavam negativos no SCPC", disse Burti.A pesquisa, feita com 210 consumidores, revela que a média é de 10,8 cheques por emitente. De acordo com os entrevistados, 71% disseram estar inadimplentes também no cadastro do SCPC, sendo que 62% deles passaram cheque sem fundo depois de já se encontrarem negativos por terem efetuado compras no crediário. Pelo levantamento, as roupas e os calçados representaram 17% das respostas dos produtos que mais foram comprados com cheque e que geraram a emissão do cheque sem fundo; seguidos de alimentação, com 12% e dos combustíveis, eletrodomésticos, móveis e material de construção, que representaram 9% das respostas.Atenção na emissão do chequeA principal recomendação ao correntista é sempre anotar no canhoto do talão para quem o cheque foi emitido. Havendo alguma irregularidade, se o cheque for reapresentado duas vezes, é necessário entrar em contato com quem o recebeu para não ter o nome incluído nas listas de inadimplentes. Sem esse contato, é impossível retirar o nome das listas de devedores.Ao optar por comprar com cheque pré-datado, o consumidor deve pedir para que sejam colocadas as datas de vencimento na nota fiscal e fazer a anotação em cada folha de cheque. Muitas lojas grampeiam um papel com a data, que pode ser facilmente removido, no caso de se contestar o depósito. Ainda assim, cheque é uma ordem de pagamento à vista, ou seja, quem recebe o cheque pode honrar o compromisso ou não, de acordo com a sua vontade. Ao consumidor que se sentir lesado, cabe recorrer à Justiça.O correntista que tiver os talões de cheques roubados ou extraviados pode registrar, gratuitamente, a ocorrência na Serasa, a qualquer hora, pelo telefone (0xx11) 5591-0137. A Serasa fornece a informação ao comércio instantaneamente em todo o território nacional. Em horário comercial, o correntista deve procurar sua agência para sustar dos cheques roubados ou extraviados. Controlar as finançasO segredo para não entrar no vermelho é controlar o orçamento na ponta do lápis. Esta também pode ser a estratégia para quem está tentando se livrar das dívidas. Uma vez que o devedor descobre quanto gasta e onde está colocando seu dinheiro, pode começar a cortar gastos. Um dos lemas para recuperar e manter a saúde financeira, de acordo com consultores financeiros, é ser radical: gastar de acordo com o que ganha, nunca fazer empréstimos, comprar sempre à vista e poupar, independente do salário. E, para quem tem dívidas, livrar-se delas antes de mais nada.Leia mais a respeito de como evitar a inadimplência e organizar o orçamento doméstico, além de fugir das armadilhas que destróem o equilíbrio das finanças pessoais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.