Quatro bancos estão na lista de pior atendimento do Procon

O Procon-SP divulgou hoje o ranking das 10 empresas menos eficientes no atendimento ao consumidor. Entre elas estão quatro bancos. A lista, elaborada com base na porcentagem de não-atendimento das queixas registradas no município de São Paulo, foi liderada pelo Clube de Campo de Águas de Atibaia, que não respondeu a nenhuma das 188 reclamações registradas entre janeiro e dezembro do ano passado. O segundo lugar da lista ficou com a empresa de assistência odontológica Odontocard, que deixou de responder a 96,15% das queixas; seguida da Caixa Econômica Federal, com uma porcentagem de não-atendimento de 77,34%. Os outros bancos: Itaú, na sexta posição, com uma taxa de não-atendimento de 66,67%, seguido por Bradesco e Banco do Brasil, que deixaram de atender, respectivamente, 66,37% e 61,46% das ocorrências. O setor de telefonia, que liderou o número de reclamações por área no ano passado, foi representado na lista pela Intelig e pela Vivo, que ficaram com a quarta e a quinta posições. As taxas de não-atendimento das duas empresas alcançaram, respectivamente , 70,81% e 69,65%. A nona posição do ranking ficou com a varejista de móveis e eletrodoméstico Dominó, que deixou de atender 60,16% das reclamações, enquanto a décima colocação ficou com a Pró Saúde, cuja taxa de não-atendimento foi de 58,23%. Entre as 30 empresas menos eficientes no atendimento estão ainda Eletropaulo, Central Nacional Unimed, Delta Prime Corretora de Seguros, Uol, Ericsson, Sul América, Sabesp, Cartão C&A, Banespa, Vésper, Embratel, Credicard, Nokia, Editora Três, Valor Capitalização, BCP, LG Electronics, Telefônica, Grupo Imagem e Kolumbus Móveis.

Agencia Estado,

15 Março 2004 | 18h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.