Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão

Quatro em cada dez anúncios divulgados na Black Friday não trazem vantagem ao consumidor

Aplicativo que reúne promoções mostra que 41% das promoções do evento têm preço acima ao praticado pelas lojas virtuais nos últimos 30 dias

Felipe Siqueira, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2018 | 20h04

Quatro em cada dez descontos de Black Friday lançados internet de segunda-feira, 19, até 19h de quinta-feira, 22, têm preço acima de promoções divulgadas nos últimos 30 dias.

O dado foi levantado no aplicativo da Promobit, que reúne sugestões de anúncios compartilhadas pelos usuários da plataforma. Os anúncios são aprovados quando considerados verdadeiros, após checagem. O índice reflete a taxa de anúncios aprovados sobre o total de anúncios feitos.

Isso significa, de acordo com o levantamento, esses anúncios publicados não trazem vantagens ao consumidor, ou até mesmo, representam fraudes e pegadinhas de empresas maliciosas, o que pode resultar em perda de dinheiro.

Se pegarmos o porcentual de anúncios reprovados desde o início da pesquisa, que é dia 01º de janeiro, o número se reduz um pouco e chega a 34% de anúncios que não são considerados como os melhores para os clientes, o que representa cerca de três em cada dez.

A Promobit divide os anúncios publicados em Aprovados, quando as ofertas são boas, Bloqueados, quando não representam vantagens, ou são falsas, e Duplicados, quando aparecem mais de uma vez na plataforma. Bloqueados e Duplicados somam-se na mesma estatística.

O editor de conteúdo da Promobit, Willian Oliveira, fala que estes números, entre 30% e 40%, aproximadamente, são altos, principalmente, quando se pensa que a Black Friday é uma data para se ganhar descontos, e não perder dinheiro.

"Não chega a ser a Black Fraude, como em anos anteriores, mas ainda é um número alto, pensando no consumidor final".

Nas primeiras edições de Black Friday, que se iniciou no Brasil em 2010, muitas empresas aumentavam os preços meses antes da data do evento e, chegando perto da data oficial, reduzia o valor da etiqueta.

Com esta tática, o cliente era induzido a acreditar que o produto estava ficando mais barato, mas, se fosse comparar com meses anteriores, iria descobrir que, na verdade, ficava acima do valor inicial. Esta prática deu início à utilização do termo 'Black Fraude', que o mercado luta para derrubar até hoje.

Acesso liberado

Estado vai liberar aos leitores todo o conteúdo de seu portal durante a edição da Black Friday de 2018, que acontece no dia 23 de novembro. A cobertura especial vai começar na meia-noite do dia 23 e permanecerá até 0h01 de 24 de novembro.

Os leitores vão contar com cobertura em tempo real, transmissões ao vivo dos repórteres da editoria de economia e informações exclusivas desta que é a principal temporada de compras do ano no Brasil, atrás apenas do Natal.

Para Entender

Black Friday 2018: tudo o que você precisa saber

Maior campanha de vendas promocionais no comércio online e varejo físico do Brasil ocorre, neste ano, no dia 23 de novembro

Mais conteúdo sobre:
Black Friday

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.