Queda da massa salarial indica acomodação da economia

Secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda avalia que este é o indicador mais importante entre os dados da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE

Fábio Graner, da Agência Estado,

26 de maio de 2011 | 12h23

O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, afirmou que a queda na massa salarial real e nominal em abril, divulgada hoje pelo IBGE, é um sinal de acomodação e desaquecimento da economia. Segundo ele, este é o indicador mais importante para análise do impacto na atividade econômica e na inflação, entre os dados da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE.

"Este é um sinal de que a economia está se acomodando", afirmou Holland, que participa hoje do seminário sobre fluxo de capitais para mercados emergentes, promovido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e Fazenda, no Rio. Para o secretário, a queda no desemprego não indica que esteja havendo sobreaquecimento na economia brasileira. Segundo ele, o recuo, além de ter sido pequeno, pode estar refletindo a rotatividade no mercado de trabalho e sazonalidade de alguns setor específicos.

De acordo com ele, o nível atual do desemprego não significa que a economia brasileira já esteja rodando no pleno emprego. Na visão do secretário, a economia brasileira suporta, sem maiores problemas, taxas de desemprego menores.

Segundo Holland, a economia brasileira está convergindo para um ritmo adequado para colocar a inflação na meta em 2012 e desde este mês os indicadores preliminares de inflação já apontam preços mais comportados.

Tudo o que sabemos sobre:
Hollandmassa salarialFazendaemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.