Ralph Orlowski/Reuters
Ralph Orlowski/Reuters

Queda das ações do Deustche Bank é exagerada, dizem analistas

Para o JP Morgan, a perda de receita de clientes é uma ameaça bem maior do que as possíveis multas que o Deutsche possa enfrentar

Sérgio Caldas, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2016 | 12h15

SÃO PAULO - A forte liquidação recente nas ações do Deutsche Bank foi exagerada, uma vez que o Departamento de Justiça dos EUA poderá impor ao banco alemão uma multa muito menor do que a de US$ 14 bilhões inicialmente proposta, por irregularidades na venda de títulos hipotecários ocorridas antes da crise financeira mundial de 2008, segundo o Credit Suisse.

"Esperamos que o acordo final seja muito menor e proporcional ao de bancos equivalentes", previu o banco suíço, notando, porém, que outras pendências judiciais podem continuar pesando nos papéis do Deutsche no curto prazo.

O Credit também ressaltou a baixa rentabilidade e o déficit de capital do Deutsche e previu que a instituição alemã terá dificuldades de cumprir suas metas de capital, mesmo que cancele o pagamento de dividendos e se beneficie da recente venda de ativos.

Já para o JPMorgan Cazenove, a perda de receita de clientes é uma ameaça bem maior do que as possíveis multas que o Deutsche possa enfrentar. "A incapacidade de gerar capital é a raiz dos problemas do Deutsche Bank, na nossa visão", dizem analistas do banco de investimentos, acrescentando que têm uma opinião favorável do executivo-chefe do Deutsche, John Cryan, mas o banco não consegue criar alavancagem operacional positiva.

O JPMorgan Cazenove tem recomendação neutra e preço-alvo de 14 euros para as ações do Deutsche.

As ações do Deutsche Bank se recuperaram da forte queda registrada no início do dia, quando chegou a recuar 8,7% na bolsa alemã. Em Frankfurt, os papeis encerraram o último pregão do dia com valorização de 6,39%. No ano, o banco acumula perda de cerca de 50%.

Ontem à tarde, a avaliação do banco sofreu com relatos de que fundos como AQR Capital Management, Capula Investment Management, Citadel, Luxor Capital Group, Magnetar Capital e Millennium Management estariam retirando seu dinheiro ou desmontando posições junto ao banco com receios de que ele possa ter que pedir ajuda financeira ao governo alemão.

Em comunicado, o Deutsche Bank afirmou estar confiante de que a maioria dos investidores entende sua posição financeira estável e o progresso de sua estratégia. 

No fim da manhã, porém, relatos de mídia sugeriram que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos pode reduzir de US$ 14 bilhões para US$ 5,4 bilhões o valor a ser pago pelo banco para encerrar investigações sobre sua atuação no mercado de títulos imobiliários no período que antecedeu a crise financeira de 2008. / COM DOW JONES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.