Queda do compulsório aumenta oferta de crédito, diz Febraban

A redução da alíquota do compulsório sobre depósitos à vista de 60% para 45% amplia a oferta de crédito, diminui o "spread" (diferença entre as taxas de captação e empréstimo) e cria condições para induzir a queda nas taxas de juros nos empréstimos. A avaliação é do economista-chefe da Federação Brasileira das Associações de Bancos (Febraban), Roberto Luis Troster. Ele estima que a oferta de crédito deve expandir-se em R$ 7,5 bilhões. Troster acrescenta que os recursos que estavam depositados no compulsório não eram remunerados, o que permite agora - com o "desbloqueio" - baixar os juros. Segundo o economista, concretizada a redução nos juros dos empréstimos há a possibilidade de crescimento na demanda por crédito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.