Queda do dólar eleva preços agrícolas

A desvalorização do dólar ante outras moedas elevou de forma expressiva as cotações dos principais produtos agrícolas negociados na Bolsa de Nova York. O contrato do açúcar para entrega em março disparou 3,26%, para 32,33 centavos de dólar por libra-peso; a mesma posição do café subiu 3,71%, a 240,40 centavos, e a do algodão avançou 2,62%, para 156,94 centavos. À questão cambial se juntaram problemas específicos desses mercados, como restrição de oferta e demanda em alta. ''Enquanto houver pessoas ou países dispostos a pagar muito por esses produtos, eles continuarão a encarecer'', comentou Tom Mikulski, estrategista sênior da corretora Lind-Waldock, para a agência Dow Jones.

Ana Conceição, O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2011 | 00h00

No caso do café, os estoques mundiais apertados mantêm os preços em alta. No Brasil, maior produtor e exportador, a safra deste ano será menor por causa da bienalidade característica da cultura. Tradicionalmente, a um ano de grande produção se segue outro de baixa. O mercado do algodão também tem oferta restrita e um grande apetite comprador da China, que praticamente dobrou as importações da fibra em 2010.

Em Chicago, as cotações da soja caíram por causa do início da colheita no Brasil e das chuvas nas áreas produtoras da Argentina. O contrato março teve baixa de 0,14%, para US$ 14,1225 por bushel. O preço do milho teve pequena alta: 0,50%, para US$ 6,5725 por bushel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.