carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Queda do dólar nem sempre chega aos importados

O dólar em queda tem reduzido preços no varejo, mas nem sempre de maneira perceptível nem na velocidade esperada pelo consumidor. ?O impacto do dólar na formação dos preços, principalmente no caso de queda, não é muito visível para o consumidor?, diz o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Sussumu Honda. Ontem o dólar fechou a R$ 1,711, a menor taxa de câmbio desde maio de 1999.Ele cita como exemplo o trigo, cotado em dólar e com aumentos expressivos nos últimos dois anos no mercado internacional. ?Aqui, os preços ficaram equilibrados justamente por causa da desvalorização da moeda frente ao real. Mas esse resultado é pouco percebido e difícil de medir?, diz.O supermercado Santa Luzia, especializado em produtos importados, adotou a estratégia de ressaltar a queda de preços de alguns produtos trazidos do exterior. ?Colocamos o preço antigo e o novo para o consumidor ver a diferença?, diz o diretor da empresa, Jorge Conceição Lopes. As diferenças são de centavos, mas com os preços marcados, diz, fica claro que eles estão caindo. No próximo mês, com a Páscoa, os produtos importados, como bacalhau, azeite e vinhos, devem ganhar destaque nos supermercados. O Pão de Açúcar, por exemplo, informa que, por causa do dólar, o bacalhau já está 20% mais barato do que no mesmo período de 2007. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

22 de fevereiro de 2008 | 09h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.