Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Queda do premiê da Holanda pode afetar rating do país, diz Moody’s

Segundo a agência de classificação de risco, fato provoca incertezas tanto no campo Executivo, quanto de política monetária

Renan Carreira, da Agência Estado,

26 de abril de 2012 | 13h22

A queda do gabinete na Holanda não tem consequências diretas para o rating do país, disse a vice-presidente e analista sênior da Moody's, Sarah Carlson, em um congresso em Amsterdã. No entanto, ela afirmou que o pedido de renúncia do primeiro-ministro Mark Rutte, no sábado, por não conseguir aprovar no Parlamento uma proposta que reduziria os gastos públicos em bilhões de euros, foi um fato ruim para o rating de crédito do país.

Em um comunicado na segunda-feira, Carlson disse que "isso é claramente negativo porque provoca incertezas tanto políticas (no campo do Executivo) quanto de política monetária". Ela avisou ainda que os problemas na Holanda podem afetar negativamente a credibilidade da UE, já que o país é considerado um dos que seguem mais à risca as regras ficais da zona do euro.

A Holanda vai manter seu rating em AAA-, com perspectiva "estável", disse Carlson. Dentro da União Europeia (UE), apenas Dinamarca, Alemanha, Finlândia e Luxemburgo possuem o mesmo rating. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HolandaMoody´sratingrisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.