carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Queda do risco e dos juros depende da relação entre dívida e PIB

O Brasil tem condições de reduzir o risco País - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do País - e as taxas de juros com o aumento da proporção do comércio exterior em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). A avaliação foi feita pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan. "Estamos caminhando para que essa relação salte de patamares históricos entre 15% e 20% do PIB para um número próximo a 30% do PIB", afirmou Furlan.Segundo ele, este ano a corrente de comércio brasileiro deverá ser de US$ 156 bilhões, com um PIB em torno de US$ 500 bilhões, o que já resulta num índice entre 28% e 30% do PIB. "Isso nos dará condição de termos menor risco, menor taxa de juros internacional e, portanto, menores taxas de juros no mercado interno", disse. Furlan acredita que o Brasil tem condições de quebrar a barreira de 400 pontos de Risco País, ao reduzir esse índice para 300 pontos no ano que vem e, em 2006, para 200 pontos.

Agencia Estado,

20 de dezembro de 2004 | 17h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.