Queda do superávit não ameaça resultado fiscal, diz Bernardo

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta segunda-feira, 30, que a redução do superávit primário de março não compromete o resultado fiscal do ano. O superávit primário de março foi de R$ 7,138 bilhões, quase 50% abaixo do resultado do mesmo mês em 2006. "Temos uma meta de superávit para o ano, não há nenhum problema que ameace o cumprimento desse superávit", disse Bernardo, que participou do Fórum de Desenvolvimento Sustentável. "Aliás temos sofrido críticas porque não temos conseguido avançar nos projetos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), isto é, poderíamos ter feito um superávit até menor se tivéssemos conseguido avançar nos projetos." Segundo o ministro, o superávit está acima do que seria a média mensal, mas o governo quer gradativamente, até o fim do ano, chegar na meta programada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.