Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Queda na arrecadação já era esperada, diz secretário da Receita

O secretário-adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro, avaliou hoje que a queda da arrecadação em novembro já era esperada. O secretário atribuiu a redução a fatores sazonais, às arrecadações atípicas em novembro do ano passado e ao início dos efeitos das medidas do "pacote de bondades" de corte de tributos.Entre essas medidas, está a mudança da forma de cobrança do Imposto de Renda (IR) retido na fonte dos fundos de investimento, que deixou de ser mensal e passou a ser recolhido semestralmente. "É uma situação de pura sazonalidade. A queda da arrecadação estava dentro das nossas expectativas", disse Pinheiro.Segundo ele, essa queda não é preocupante. Mais uma vez o secretário destacou que o aumento da arrecadação no acumulado no ano está associado ao crescimento da economia, o trabalho de fiscalização da Receita e o fechamento de brechas para a sonegação, como o início da retenção na fonte da Cofins para pagamentos de serviços.CofinsO secretário-adjunto destacou ainda que o resultado de novembro mostra a tendência de queda do ritmo de crescimento da Cofins depois das mudanças introduzidas neste esse ano, como a cobrança nas importações. Quando as mudanças começaram a ser implantadas, no início do ano, o crescimento mensal da arrecadação da Cofins estava em mais de 40% em relação ao mesmo mês de 2003.Em novembro, a arrecadação da Cofins das empresas (excluindo as instituições financeiras) apresentou um crescimento de 10,80% comparativamente ao mesmo mês do ano passado. Considerando a Cofins recolhida pelas instituições financeiras o crescimento da arrecadação é de 7,95%. No acumulado do ano até novembro, o incremento da Cofins está em 21,28%.

Agencia Estado,

20 de dezembro de 2004 | 13h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.