Queda na produção e venda de aço aponta desaquecimento

A produção de aço bruto caiu 12,5% em julho de 2005 ante igual mês do ano passado, segundo divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS). A produção atingiu 2,45 milhões de toneladas em julho último, ante 2,83 milhões de toneladas em julho de 2004. Já a produção de laminados caiu 9,2% no período - 1,79 milhão de toneladas ante 1,97 milhão de toneladas em julho de 2004.No acumulado do ano, até julho, a produção de aço bruto totalizou 18,42 milhões de toneladas, ante 18,96 milhões de toneladas no mesmo período de 2004, com queda de 2,9%. Com o resultado, os estoques de aço na rede distribuidora atingiram 680 mil toneladas em julho deste ano, bem superiores às 499 mil toneladas de igual mês do ano passado. O presidente do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), Luiz André Rico Vicente, disse que a queda na produção de aço bruto em julho deste ano ocorreu por acomodação de estoques e antecipação de paradas de manutenção em várias empresas, por causa do desaquecimento do mercado interno. "A manutenção é rotina e toda vez que há enfraquecimento do mercado as empresas antecipam", disse.VendasAs vendas do setor no mercado interno caíram 21,2% em julho deste ano ante igual mês de 2004. Em julho do ano passado, as vendas totais do setor atingiram 1,626 milhão de toneladas, enquanto em igual mês deste ano não ultrapassaram 1,281 milhão de toneladas.Motivos para o baixo desempenhoAssim como ocorreu na avaliação dos dados do primeiro semestre, Vicente disse que as altas taxas de juros são um dos principais fatores responsáveis pela queda na produção. "A política do governo é de retração", disse.Vicente disse também que a crise política ainda não afetou o setor. "Todos os grandes projetos foram decididos e estão sendo implantados. Apesar de toda a crise, a economia continua", afirmou.ExpectativasO presidente do IBS destacou que o setor ainda aposta na recuperação no último trimestre deste ano. "Esperamos uma redução dos estoques, que estão muito altos", afirmou. Ele sublinhou que o importante para o setor é que "o sistema como um todo tenha previsibilidade", já que a gerência de estoques no setor siderúrgico exige planejamento.Para o desempenho do setor neste ano, o IBS mantém a estimativa de queda de 3,8% nas vendas do setor siderúrgico, caindo de 17,87 milhões de toneladas em 2004 para 17,10 milhões de toneladas em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.