Queda no juro representa economia de R$ 1,29 bi para governo

A queda de 0,25 ponto porcentual na Selic, taxa básica de juros da economia, promovida na semana passada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) - de 19,75% para 19,5% ao ano, representa, em um ano, uma economia de cerca de R$ 1,29 bilhão para o Tesouro Nacional.A conta é feita com base no estoque de Letras Financeiras do Tesouro (LFT), papéis indexados à taxa Selic, que encerrou agosto totalizando R$ 519,36 bilhões, correspondente a 56,40% do total da dívida pública mobiliária federal interna. Em julho, os papéis indexados à Selic somavam R$ 530 bilhões, representando 57,88% do total de endividamento interno em títulos.Para melhorar o perfil da dívida, o governo pretende reduzir, cada vez mais, esta parcela da dívida, já que a remuneração destes títulos oscila de acordo com o comportamento das taxas. Ou seja, trata-se de uma parcela que deixa a dívida vulnerável ao comportamento dos juros.Perfil melhorA dívida passa a ter um perfil melhor quando esta parcela cai e aumenta a de títulos com juros prefixados. No mês passado, do total da dívida, R$ 219,79 bilhões correspondem a títulos prefixados, o equivalente a 23,87% do total da dívida. No mês de julho essa participação era de 22,37%.Com base nestes números, é possível perceber uma pequena melhora do perfil da dívida, pois houve um pequeno crescimento da parcela de títulos prefixados e uma leve queda nos títulos com juros pós-fixados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.