Queda no preço da gasolina depende do nível de concorrência

A disparidade entre os porcentuais de redução nos preços da gasolina entre as oito capitais pesquisadas pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) deve-se, segundo o diretor da agência, Luiz Augusto Horta, ao estágio de competição em que se encontrava cada localidade antes da abertura. "Em Belo Horizonte, o preço médio já era baixo, de R$ 1,634, devido à maior competição entre os postos. Por isso, a redução foi menor", explicou. Em Recife, a situação era inversa, diz Horta. "O preço médio lá era o maior de todos, de R$ 1,763", afirma. Agora, curiosamente, é o menor: R$ 1,465. A capital mineira registrou a menor queda no preço da gasolina entre dezembro e ontem (-2,30%), enquanto a pernambucana a maior redução (-16,88%).Pesquisa realizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) em 820 postos em oito capitais do País revelou que a maior queda no preço do diesel entre dezembro e ontem ocorreu em Brasília (-2,22%), enquanto houve um pequeno aumento no preço do produto em Belo Horizonte (0,38%). Em São Paulo, a queda no preço do diesel desde a abertura do mercado, em 1º de janeiro deste ano, foi de 0,48%. O preço médio do produto na capital paulista apurado pela ANP foi de R$ 0,875 (mínimo de R$ 0,789 e máximo de R$ 0,959). Nas demais capitais, as variações do preço do diesel no período foram as seguintes: Curitiba (-2,20%), Porto Alegre (-1,78%), Recife (-0,82%), Rio de Janeiro (-0,77%) e Salvador (-2,03%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.