Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Queda no preço da gasolina reduzirá inflação em 0,05 ponto, diz consultoria

Resultado significa que o IPCA encerraria o ano em 7,35%, em vez dos 7,40% estimados anteriormente

Maria Regina Silva e Daniela Amorim, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2016 | 10h06

SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO - A redução nos preços da gasolina na refinaria anunciada pela Petrobrás deve conter a inflação oficial no País em 0,05 ponto porcentual, segundo cálculos da RC Consultores. O resultado significa que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), encerraria o ano de 2016 em 7,35%, em vez dos 7,40% estimados pela consultoria anteriormente.

A Petrobrás anunciou hoje um corte médio de 2,7% no preço do litro de diesel e de 3,2% no da gasolina. O reajuste nas refinarias começa a valer a partir da zero hora deste sábado, 15 de outubro.

"O impacto não virá cheio no IPCA de outubro", lembrou Marcel Caparoz, economista da RC Consultores.

Segundo Caparoz, tanto a redução no litro da gasolina quanto a queda nos preços dos alimentos devem contribuir para que a taxa do IPCA de outubro fique mais perto de 0,30% em vez de algo próximo a 0,40%. "Pode ser algo em torno de 0,3%, porque os alimentos continuam caindo", acrescentou.

A queda nos preços dos combustíveis é mais um argumento a favor do início de corte na taxa básica de juros na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) deste mês, segundo Caparoz. Ele argumenta que as principais condições para que o Banco Central comece a flexibilização monetária estão em andamento e, o recuo na gasolina e no diesel é mais um fator a contribuir para o declínio dos juros. "A inflação de alimentos está perdendo força, o fiscal está indo bem. Tudo isso justifica redução dos juros. Corrobora ainda mais", avaliou.

A redução nos preços dos combustíveis, contudo, não deve mudar as apostas para a Selic. Ou seja, segundo Caparoz, o BC deve ser cauteloso no próximo encontro. A RC Consultores estima que o Copom comece a reduzir a Selic em 0,25 ponto porcentual em outubro. Já para novembro, Caparoz espera que os juros tenham queda de 0,50 ponto porcentual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.