Quedas de preços ainda são pontuais e transitórias

ANÁLISE: Marcel Caparoz

O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2014 | 02h01

Embora a inflação tenha diminuído, a situação atual ainda demanda cuidados. A alta de 0,47% de junho de 2014 do IPCA-15 é muito superior à média para o mês, de 0,32%. Em 2014, a inflação acumulada em seis meses já é de 4%, muito próximo da meta para o ano, de 4,5%. No próximo mês, o IPCA-15 deverá romper o teto máximo de 6,5% em 12 meses. Basta uma inflação de 0,16% em julho para que tal teto seja alcançado. No caso do IPCA, uma alta de 0,36% neste mês já será o suficiente para romper a meta em 12 meses.

Os fatores que impediram uma inflação ainda maior neste mês foram a queda das taxas de água e esgoto em São Paulo e a deflação dos preços dos alimentos em domicílio, reflexo das recentes baixas no atacado. No entanto, são quedas pontuais e transitórias. Os preços dos alimentos no atacado, por exemplo, já voltaram a subir após sete semanas de queda, o que deve frear o recuo dos preços ao consumidor.

Preocupa também a elevada pressão sobre os preços dos itens de Serviços, que permanece no nível médio de 8,5% ao ano, há mais de três anos, sem reagir aos aumentos recentes das taxas de juros. Por outro lado, os preços monitorados pelo governo têm permanecido artificialmente baixos, dada a resistência do governo central em repassar os reajustes ao consumidor, como ônibus urbano, metrô, gasolina, energia e agora também das tarifas de água e esgoto em São Paulo, que terão forte impacto sobre a inflação quando os benefícios concedidos forem revogados.

A persistência da inflação deteriora as expectativas, prejudicando o planejamento de investimentos de maior prazo de retorno. O BC, porém, reafirma a meta de 4,5% para os próximos anos, mas cada vez menos pessoas acreditam na viabilidade do objetivo no curto prazo.

ECONOMISTA DA RC CONSULTORES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.