Quem consegue emprego pela Internet

Nenhum site de emprego dá garantias de recolocação, mas as agências virtuais já começam a colecionar casos de sucesso de profissionais que obtiveram uma vaga com a simples inserção de um currículo online. A analista de suporte Gisele Espíndola de Oliveira Soares, de 23 anos, era estagiária em um provedor de acesso do Rio de Janeiro - o Globalnet (hoje parte da PSINet) - quando decidiu testar os serviços de um site. "Não esperava que desse certo. Divulguei meu currículo sem expectativa de retorno, mas apenas 50 minutos depois recebi um telefonema da TVA e agendamos uma entrevista. Acabou dando certo e estou na empresa, cuidando do serviço de Internet Ajato, já há um ano e meio."Casos como o de Gisele são excepcionais. A obtenção de emprego, geralmente, é bem mais demorada e difícil. O que contribuiu para a sua recolocação foi a sua experiência na área tecnológica. "Para quem está na área de informática, é natural que as contratações sejam feitas pela Internet. É na rede que as empresas vão buscar os profissionais para preenchimento de vagas", diz Gisele.Internet oferece recolocação rápida em diversas áreasMas não é apenas para profissionais de informática que a rede garante recolocação rápida. A secretária-executiva bilíngüe Magáli Bertuol havia chegado a São Paulo fazia apenas três meses, depois de mudar de Porto Alegre para acompanhar o marido em um novo emprego."Se me perguntarem hoje em que sites tenho currículo, não saberei responder. Fiz cadastramento em todos os serviços online no fim de abril. Uma semana depois da inscrição no www.gelre.com.br, recebi um e-mail dizendo que havia uma empresa interessada. A Gelre me contatou na semana seguinte oferecendo outra vaga: trabalhar como contratada da própria Gelre na empresa Vendex, como secretária."Magáli recebeu propostas de emprego de outros sites e destaca a importância da inscrição em vários serviços para obter resultados. "Fiz uma pesquisa no www.cade.com.br e no www.altavista.com.br e inseri meu currículo em todos os sites que encontrei." Aos 37 anos, sua experiência como secretária bilíngüe com especialização em finanças de comércio exterior foram determinantes.RequisitosPara Daniela Batista, administradora de empresas com graduação pela USP e seis meses de estudos numa universidade norte-americana, na Flórida, o conhecimento de idiomas foi fundamental para conquistar uma vaga de analista de finanças no site submarino.com.br. Aos 24 anos, contudo, seu maior trunfo já era a experiência profissional."Eu era auditora na empresa de consultoria KPMG e isso pesou muito. Fiz minha inscrição no site da Catho (www.catho.com.br) em junho ou julho do ano passado e, no início, chegava a receber uma ou duas ligações por dia, porque meu currículo era novo e ficava no topo da lista. Estudei várias propostas e acabei mudando de emprego no fim do ano."Menos experiente, a estudante Karin Moldenhauer, de 21 anos, só terminará o curso de Administração de Empresas com habilitação em Comércio Exterior no fim de 2002. Mas conseguiu um estágio na empresa de importação Polimport em apenas um mês, depois de inserir seus dados no Curriculum. "É um processo mais rápido do que enviar currículos de empresa em empresa e também dá para o profissional escolher o emprego que lhe interessa, em sua área ou fora dela, porque as vagas ficam expostas no site."Karin agora trabalha na Ericsson. Dessa vez conseguiu o emprego por meios convencionais. "Enviei um currículo em papel e fui aprovada", conta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.