Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

‘Quem não criou laços aqui preferiu voltar para casa’

Ex-trabalhadora de Suape agora estuda enfermagem e se mantém como maquiadora

O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2017 | 05h00

“Nunca tinha pensado em estudar enfermagem, até a crise chegar a Suape e o emprego que tinha conquistado a duras penas, como supervisora em uma petroquímica e depois no estaleiro Atlântico Sul, naufragar com a crise. Para mim, era uma grande conquista, depois de ter feito um curso técnico, em 2012, e começar uma carreira que parecia promissora.

A gente percebeu o impacto dos últimos anos bem de perto. Nos bons tempos, de emprego farto, muita gente se mudou para Cabo de Santo Agostinho, a cidade cresceu e ruas brotaram do nada. Com o tempo, as vagas foram rareando e quem não criou laços, preferiu voltar para casa. Para manter as contas em dia, passei a trabalhar como maquiadora, primeiro com amigas e vizinhas e depois com a clientela que via meus anúncios nas redes sociais. Comecei aprendendo pelo YouTube e depois fiz um curso. Minha especialidade hoje é o design de sobrancelhas. É algo que sempre gostei de fazer e acabou me ajudando muito.

No fim, a crise me deu oportunidade de descobrir outro talento, não quero voltar para a indústria, a área de saúde, além de ser gratificante, dificilmente tem crise.” / Douglas Gavras

Mais conteúdo sobre:
emprego e desemprego [trabalho]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.