Querosene de aviação sobe 6,7%

A Petrobras reajustou hoje em 6,7% o preço do querosene de aviação. Este é o nono aumento do ano feito pela estatal, que vem promovendo reajustes quinzenais por causa da alta do petróleo no mercado internacional. Segundo o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea), George Ermakoff, o reajuste deverá ser repassado às tarifas, mesmo com o risco de diminuir a ocupação dos aviões, porque "nenhuma empresa aguentaria o tranco" de não fazer o repasse. Ele disse que a alta do combustível já atingiu 27,3% desde 1º de janeiro. O presidente do sindicato afirmou que a Petrobras teria condições de manter os preços do querosene de aviação mais baixos, já que produz 85% do consumo do combustível a um custo "muito menor do que o que vem sendo negociado hoje fora do Brasil por motivos outros que nada dizem a respeito a nós".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.