Questão política pressiona juros e Bolsa

No mercado de juros, espera-se um dia de investidores cautelosos em função de notícias no cenário interno. Há pouco, os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagavam juros de 17,81% ao ano. A primeira notícia do dia foi a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisa Econômicas da USP (Fipe), referente ao mês de julho, ficou em 1,4%. O resultado está acima das projeções do mercado, 1,2%.Além disso, espera-se para hoje o depoimento do ex-secretário-geral da presidência da República, Eduardo Jorge. Embora a aposta seja de que o depoimento não traga grandes novidades, o caso mantém o mercado apreensivo e a expectativa pelo depoimento certamente retrairá os negócios. O temor dos investidores é que sejam levantadas suspeitas em relação ao envolvimento do presidente Fernando Henrique Cardoso, o que poderia comprometer a imagem do País.No mercado acionário, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 1,35%, também atenta ao cenário interno. A queda da Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - também ajuda a pressionar o mercado acionário brasileiro. A queda da Nasdaq é de 3,0%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.