Quinze bancos participam da reestruturação da dívida argentina

O governo da Argentina anunciou os nomes de 12 bancos estrangeiros e três argentinos que foram convidados a participar da coordenação do plano de reestruturação da sua dívida pública em default (calote), que será a maior da história. Os 12 bancos estrangeiros convidados são: JP Morgan Chase & Co, Morgan Stanley Co, Salomon Smith Barney, Deutsche Bank AG, UBS Warburg, Goldman Sachs Group Inc, ABN Amro, Lehman Brothers, BNP Paribas, Nomura Co Ltd, Dresdner KW e Barclays PLC. Os três bancos argentinos convidados para participarem do processo são: BBVA Banco Francès SA, Banco Galicia y Buenos Aires SA e Banco de la Nación - maior banco estatal argentino.Os bancos terão até o dia 31 de outubro para responderem o convite. Na carta enviada às instituições, o governo argentino destaca que se reserva o direito de rejeitar qualquer ou todas as ofertas que forem feitas. Na lista de bancos estrangeiros convidados, destaca-se a ausência da Merrill Lynch & Co e do Credit Suisse First Boston. Contudo, antes da divulgação da lista, o mercado especulava que esses dois bancos seriam excluídos por causa de seu grande envolvimento nas emissões de dívida da Argentina na década de 1990.A Argentina tem planos para reestruturar US$ 94,3 bilhões da dívida nominal em default. Na apresentação do plano de reestruturação em Dubai, no dia 22 de setembro, o governo argentino propôs um desconto de 75% do principal da dívida através de uma operação de troca de velhos bônus por novos, divididos em três categorias. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.