Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Quinze países controlarão 58% de produção de petróleo em 2015

Quinze países, nove dos quais são membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), controlarão 58% da produção mundial do combustível em 2015, de acordo com o Fórum Econômico Mundial (FEM).As previsões são resultado de um relatório publicado nesta quarta-feira pelo FEM - instituição privada com sede em Genebra -, que pretende servir como "agenda" para as próximas reuniões do órgão sobre as indústrias energéticas.Em suas conclusões, o fórum pede aos países produtores e consumidores de energia que levem em conta as novas realidades da economia e a demanda a longo prazo, para garantir assim uma maior segurança energética.Demanda Entre as tendências destacadas pelo documento, aparece o rápido aumento da demanda de petróleo no Brasil e na Ásia, especialmente nos países asiáticos do Pacífico. Essas nações precisarão de grandes contribuições de energia nos próximos dez anos.Os economistas do fórum também calculam que o gás natural, por ser mais fácil de transportar que o petróleo, representará 17% da matriz energética em 2020, contra 7% em 2003.O documento sugere a alteração rápida do "paradigma energético" dos anos 70, baseado no petróleo e na Opep.Complexa integração O novo modelo energético deve refletir a complexa integração das infra-estruturas e das alianças econômicas e políticas, e ainda permitir uma melhor resposta dos Estados diante de imprevistos, como as catástrofes naturais e os conflitos, diz o documento.O texto também acrescenta que os furacões Katrina e Rita, que assolaram a costa atlântica americana em 2005, ilustraram a interconexão das infra-estruturas energéticas. Esses desastres tiveram conseqüências econômicas em todos os países.

Agencia Estado,

17 de maio de 2006 | 15h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.