Racionamento: residências terão folga no carnaval

Um documento da Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica (GCE) divulgado há pouco informa que, "por expressa determinação" do presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, os consumidores residenciais terão um aumento de 7,5% na meta de consumo de energia no mês de fevereiro. A decisão foi tomada para permitir que nos nove dias de carnaval as residências fiquem sem racionamento.Essa decisão poderá trazer um consumo adicional de 408 MW/mês nas regiões Sudeste e Centro-Oeste e de 88 MW/mês no Nordeste. A mesma metodologia está sendo aplicada para os clubes recreativos, hotéis, bares e restaurantes durante o mês de fevereiro, que terão disponível energia adicional de 233 MW/mês no Sudeste e Centro-Oeste e de 50 MW/mês no Nordeste.A GCE decidiu ainda suspender o racionamento na iluminação pública durante todo o mês de fevereiro, o que deverá trazer um gasto adicional de 212 MW/mês no Sudeste e Centro-Oeste e de 49 MW/mês no Nordeste. A GCE calcula que todas essas medidas de alívio anunciadas hoje atingirão 1.454 MW/mês no Sudeste e Centro-Oeste, o que corresponde a 82% da margem disponível calculada pela Câmara para a região, que seria de 1.762 MW/mês.No Nordeste, o impacto será de 320 MW/mês, equivalente a 72% de uma margem de 441 MW/mês. A GCE esclareceu que essa margem foi calculada com base na menor economia verificada desde dezembro de 2001.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.