Rajoy quer expansão de empresas brasileiras na Espanha

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, cujo país passa por uma grave crise, assim como o restante da zona do euro, afirmou nesta quinta-feira que existe uma ampla margem de crescimento para o investimento das empresas brasileiras em território espanhol.

ÁLVARO CAMPOS, Agencia Estado

21 de junho de 2012 | 18h31

Em um evento com empresários na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Rajou comentou que a relação entre os dois países é construtiva e frutífera, mas que "ainda existe um grande caminho a percorrer para que nossos laços comerciais e de investimentos alcancem os níveis potenciais que nos correspondem, pelo tamanho e pela importância de nossas economias".

O premiê afirmou que a Espanha, apesar da conjuntura atual, é um mercado que oferece "magníficas oportunidades de negócios" e que o país pode servir de porta de entrada ao "atrativo mercado da União Europeia, que conta com um elevado poder aquisitivo".

Rajou apontou que, em 2011, o comércio bilateral entre Espanha e Brasil registrou um recorde histórico, superando 6 bilhões de euros. Já o investimento direto dos espanhóis no País passou de 54,8 bilhões de euros em 2010, representando 47% do investimento espanhol na América Latina. "Isso situa o Brasil como o segundo maior destino dos investimentos espanhóis, atrás apenas do Reino Unido", comentou.

Rajoy também comentou que a acelerada taxa de crescimento na América Latina nos últimos anos está ligada, em parte, à entrada de capital estrangeiro na região, que permitiu a realização de importantes projetos de investimento, "assim como a transferência e o compartilhamento de tecnologia e conhecimentos".

Entretanto, o líder espanhol fez uma ressalva, afirmando que "é essencial garantir o respeito às regras internacionais de comércio e contar com um marco jurídico e econômico estável e conhecido, que seja atrativo para o investimento estrangeiro". "Esse é o caminho a seguir, especialmente nesse momento de crises e incertezas", assegurou.

Segundo o presidente da Telefônica/Vivo e da Câmara Espanhola de Comércio no Brasil, Antonio Carlos Valente, as empresas espanholas têm interesse em continuar investindo no País. "Isso se reflete no fato de que as 20 maiores empresas espanholas no Brasil têm um plano de investimentos entre 2012 e 2015 de R$ 44 bilhões", disse Valente. Ele apontou que as companhias do país ibérico têm quase 214 mil trabalhadores diretos e mais de 200 mil indiretos no Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
RajoyFiespempresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.