-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

''Rali do urso'' turbina bolsas dos EUA

Dow Jones subiu 13% nos últimos 6 pregões; analistas recomendam cautela

Leandro Modé, O Estadao de S.Paulo

18 de março de 2009 | 00h00

As bolsas dos Estados Unidos tiveram ontem o quinto pregão de alta em seis dias. O movimento coincide com declarações otimistas de executivos de instituições financeiras, como o Citigroup, sobre os resultados obtidos nos dois primeiros meses de 2009. Analistas avaliam, no entanto, que qualquer comemoração é prematura e atribuem a valorização recente das ações a apostas especulativas. "Estamos vendo um típico bear market rally", define o economista-chefe da Gap Asset Management, Alexandre Maia. Em português, essa expressão significa rali do mercado do urso. Ou seja, são momentos de forte alta em meio a uma tendência de mercado baixista. Segundo Maia, isso ocorreu com frequência durante a Grande Depressão dos anos 30. Nesses seis pregões, o Índice Dow Jones, o mais tradicional da Bolsa de Nova York, acumulou valorização de quase 13%. O S&P 500, que reúne as principais indústrias americanas, ganhou 11,4%, e a bolsa eletrônica Nasdaq, 15,2%. Nos últimos 12 meses, porém, o Dow Jones despenca 38,2%, o S&P 500, 40,95% e a Nasdaq, 32,8%. A sequência positiva começou com as declarações do presidente do Citigroup, Vikram Pandit, na noite de segunda-feira passada (dia 9). Segundo ele, o banco apresentou lucratividade no primeiro bimestre e está apresentando "a melhor performance no trimestre desde o terceiro trimestre de 2007".O Citigroup é uma das instituições que mais perderam com a crise e tem hoje uma grande participação do governo americano em seu capital - 36% do total de ações. Quinta-feira, foi a vez do Bank of America. O executivo-chefe da instituição, Ken Lewis, descartou nova ajuda do governo e afirmou que o banco deve ter lucro em 2009. Ontem, o executivo-chefe do Standard Chartered, Peter Sands, informou que o banco teve bom desempenho no primeiro bimestre. "Ainda é cedo dizer que o pior já passou no sistema financeiro americano", observou Maia. A economista-chefe do Banco Fibra, Maristela Ansanelli, concorda. "O setor real da economia continua piorando", disse. Ela argumenta que qualquer avanço nos dados deve ser visto com cautela. "Como houve uma ruptura (na atividade), algumas melhoras ocorrem por questões estatísticas."Ontem, por exemplo, a valorização de 2,48% do Índice Dow Jones e de 4,14% da Nasdaq foi atribuída, principalmente, ao crescimento de 22,2% das novas construções de casas nos EUA. "Foi a maior alta desde 1990. Parece bom, mas o nível atual ainda é muito baixo, 48,5% inferior ao de fevereiro de 2008", afirmou, em relatório, José Francisco de Lima Gonçalves, do Banco Fator. ONDA DE OTIMISMO11,4%é a valorização do S&P 500 nos últimos 6 pregões. O índice reflete o desempenho das ações das principais indústrias americanas 4,14%foi a alta de ontem da bolsa eletrônica Nasdaq

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.