Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ranking de investimento em pesquisa tem só 3 empresas brasileiras

Apenas três empresas brasileiras estão entre as 2 mil companhias no mundo que mais investem em pesquisa e desenvolvimento. O levantamento feito pela União Européia (UE) aponta que o setor privado internacional destinou 371 bilhões de euros em 2005 à pesquisa de novos produtos, novas tecnologias e inovações. O montante foi 7% superior a 2004.Entre as centenas de investidores mundiais, as três empresas que lideram o ranking são americanas: a Ford, com 6,7 bilhões de euros gastos em pesquisa, seguida pela Pfeizer e pela GM. A primeira européia na lista vem apenas na quarta colocação. Trata-se da alemã Daimler Chrysler, seguida por outra americana, a Microsoft. A lista das dez primeiras ainda conta com a Toyota, Johnson & Johnson, Siemens, Samsung e GlaxoSmithKline.Entre as empresas brasileiras, porém, a primeira aparece na 171ª colocação. Trata-se da Petrobras, com 338 milhões de euros destinados à pesquisa e desenvolvimento em 2005. O volume foi 60% superior ao que a companhia gastou em 2004, um aumento bem acima da média mundial. A segunda empresa brasileira na lista é a Companhia Vale do Rio Doce, na 260ª posição. A empresa de mineração gastou 234 milhões de euros, um incremento de 47% em relação aos investimentos no setor em 2004. Na 620ª colocação geral aparece a Embraer, com 78 milhões de euros em pesquisa. O volume gasto pela empresa, porém, foi mais que o dobro do registrado um ano antes.As três empresas brasileiras juntas, porém, investiram o equivalente a 10% dos recursos destinados pelas gigantes americanas em pesquisa. No total, os americanos estão representados por mais de 500 empresas entre as duas mil que mais investem em pesquisa em todo o mundo. Entre os países emergentes, o setor privado da Coréia é o único representado entre os 50 maiores investidores, com a Samsung e a Hyundai. O país ainda conta com outras 15 empresas no ranking publicado na Europa. A China conta com seis empresas entre as 2 mil listadas, entre elas a PetroChina, ZTE e China Telecom. Isso sem contar com quatro empresas em Hong Kong e outras 44 em Taiwan. Já os indianos contam com quatro empresas, incluindo a Ranbaxy e a Tata Motors. Israel aparece com dez empresas.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2006 | 17h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.