Ranking FIF livre de 2000

O serviço Companhias Abertas, da Agência Estado, divulgou ontem o Ranking AE/Ibmec de 2000 relativo aos fundos genéricos de investimento financeiro, anteriormente conhecidos como FIF Livre. O estudo foi realizado pelo professor Antonio Zoratto Sanvicente, do Ibmec Educacional. Foram analisados 126 fundos dessa categoria, com patrimônio líquido superior a R$ 1 milhão em 29 de dezembro passado. Os produtos foram classificados de acordo com a rentabilidade diária média, ajustada pelo risco da carteira. Para tanto, foram usados tanto o Índice de Sharpe quanto o de Modigliani, que levam em consideração rentabilidade e risco.Segundo o relatório, somente dois dos 126 fundos analisados deixaram de obter prêmios médios diários positivos, no ano passado. O Fator Mogno FIF recuou 37,06% no intervalo e o Coinvalores Fator Linear FIF apresentou baixa de 0,69%. A média dos prêmios diários de todos os fundos pesquisados alcançou 0,0406%, com volatilidade média igual a 0,1965% ao dia. O acompanhamento mostrou que, em 2000, o primeiro colocado pelo método de Modigliani foi o fundo de investimentos Hedging-Griffo Verde, com 0,0857% ao dia. O indicador revela que a carteira do fundo apresentou o melhor resultado considerando a distância entre a rentabilidade média diária obtida e o retorno esperado em função do seu nível de risco. O fundo também liderou a valorização de cotas em 2000. O produto rendeu 27,9% no período. Considerando-se todos os fundos, em termos de captação, houve uma entrada líquida de R$ 1,258 bilhão em 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.