finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ranking Ibmec: fundos de energia são destaque

O setor energético, que vem tirando o sono de muitos investidores por conta do racionamento, garantiu bons resultados aos fundos de ações no primeiro trimestre. No ranking do período, feito pelo Ibmec para a Agência Estado, quatro fundos de energia figuram entre os dez primeiros. A seleção mostra o Safra Setorial Energia em terceiro lugar e, logo a seguir, o Boston Energy. O FIA Plural Energético e o ABM Amro Energy figuram em sétimo e oitavo, respectivamente. A primeira colocação é ocupada pelo Sul América Variável FICFIA - que já não aceita mais aplicações.O Ranking AE/Ibmec foi coordenado pelo professor do Antonio Zoratto Sanvicente e abrangeu 391 fundos de ações com patrimônio líquido superior a R$ 1 milhão, em 30 de março. A classificação é feita a partir do Índice de Modigliani, que considera a rentabilidade média ajustada pelo risco total da carteira.Papéis que tiveram destaque nas carteiras vencedorasO gestor de renda variável do Banco Safra, Valmir Celestino, disse que os principais destaques no primeiro trimestre foram Copel e Emae, contribuindo para o terceiro lugar. Segundo ele, a empresa do Paraná tem boa presença em sua área de atuação e seus papéis foram influenciado positivamente no início do ano com o começo da modelagem de venda. No caso da Emae, ele comentou que o papel foi beneficiado com a perspectiva de escolha, em meados do ano, da empresa que fará a limpeza do Rio Pinheiros. A partir daí, explicou, a água do rio será bombeada para a Emae, podendo ser usada em duas usinas que operam hoje bem abaixo da capacidade. O Boston Energy ficou em quarto lugar no Ranking AE/Ibmec de fundos de ações correspondente ao primeiro trimestre. A diretora da área de análise da BankBoston Asset Management, Isabel Pedrosa, lembrou que o setor energético começou a se destacar em fevereiro, como alternativa de investimento "seguro" diante das fortes quedas das ações de telecomunicações. "Os papéis das teles, que têm forte correlação com o Ibovespa, tiveram um bom desempenho em janeiro e, no mês seguinte, houve uma realização de lucros", explicou. Segundo ela, os destaques no portfólio do Energy foram BR Distribuidora, Gerasul e Copel. A diretora de gestão da Fator Administradora de Recursos e responsável pelo fundo Plural Energético (7º lugar), Roseli Machado, comentou que o setor elétrico também foi impulsionado no início do ano pela perspectiva de reestruturações societárias. A agitação ficou por conta do possível fechamento de capital da Gerasul e de uma fusão envolvendo a Transmissão Paulista e a EPTE.PetrobrasPara os próximos meses, a principal aposta dos gestores está em Petrobras. Os papéis da empresa representam 30% do patrimônio do Safra e 10% do Plural Energético. No Boston Energy, a diretora Isabel Pedrosa não revelou a participação, mas disse que a estatal lidera a carteira.

Agencia Estado,

22 de maio de 2001 | 12h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.