Rating da Moody´s não anima mercado

A agência de classificação de risco Moody´s anunciou nesta manhã a elevação da classificação máxima para os papéis (bônus e notes) brasileiros em moeda estrangeira (veja mais informações no link abaixo). Com a boa notícia, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) chegou a subir 1,29%. Mas a tendência de alta durou pouco e a Bovespa registrava há pouco queda de 0,20%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,260% ao ano, frente a 17,200% ao ano registrados ontem. O dólar comercial está cotado a R$ 1,8710 na ponta de venda dos negócios - baixa de 0,05% em relação aos últimos negócios de sexta-feira.De acordo com analistas, o mercado não reagiu porque o rating da Moody´s estava abaixo do estipulado por outra importante agência de risco, a Standard & Poor´s (S&P) e a nova classificação apenas equiparou os conceitos. Além disso, o upgrade encontra o mercado brasileiro em um momento ruim, com os investidores dominados pelas incertezas com os mercados externos. Nos Estados Unidos, as bolsas continuam com forte oscilação. A Nasdaq - bolsa dos EUA que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - opera em queda de 0,93% e o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York está em alta de 0,42%.Ainda nessa semana serão divulgados outros resultados de empresas norte-americanas e, caso saiam abaixo do esperado, os investidores podem ter reações negativas. No Oriente Médio, permanece a tensão entre Israel e Palestina, que traz um ingrediente adicional de pressão sobre o preço do petróleo. Líderes israelenses e palestinos reúnem-se hoje no Egito, mas há grande ceticismo sobre as chances de paz. Os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em novembro estão em queda de 0,21% em Londres, a US$ 32,31 por barril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.