Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Rato, do FMI: aperto do crédito traz pouca ameaça ao Brasil

O Brasil será pouco afetado pelarecente volatilidade dos mercados decorrente do aperto decrédito global, disse nesta quinta-feira o diretor-gerente doFundo Monetário Internacional, Rodrigo de Rato. "Nós acreditamos que no Brasil a repercussão não seráimportante", disse Rato em resposta a uma pergunta sobre osriscos que a atual volatilidade nos mercados financeirosinternacionais trazem para a economia brasileira. Rato disse durante um encontro de ministros sobre comérciomundial, em Brasília, que está impressionado com os avanços quea economia do Brasil fez nos últimos anos. Ele elogiou as políticas macroeconômicas do país,mencionando o crescimento das exportações, a baixavulnerabilidade da dívida e o aumento das reservasinternacionais. "Pode haver outros países --industrializados ouemergentes-- onde podem ocorrer (repercussões)", acrescentouRato. "A perspectiva econômica do Brasil também é favorável." (Por Raymond Colitt)

REUTERS

23 de agosto de 2007 | 18h24

Tudo o que sabemos sobre:
MACRORATOBRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.