RBS corta preço de ações do banco norte-americano Citizens em IPO de US$3 bi

A maior listagem de um banco norte-americano desde a crise financeira teve uma recepção morna entre investidores, forçando o Royal Bank of Scotland a cortar o preço das ações vendidas do Citizens Financial Group.

REUTERS

24 de setembro de 2014 | 10h36

As ações foram vendidas por 21,50 dólares por papel na oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) em Nova York, menos que o esperado e em patamar que avalia o Citizens em 12 bilhões de dólares.

A oferta do britânica RBS movimentou cerca de 3 bilhões de dólares, tornando-se a segunda maior nos Estados Unidos neste ano, atrás da listagem do Alibaba, que movimentou 25 bilhões de dólares.

O RBS tinha originalmente planejado vender ações em seu banco nos EUA por entre 23 a 25 dólares. Ele cortou o preço devido a incertezas de investidores sobre a capacidade do banco de alcançar suas metas de lucratividade e um apetite mais fraco para ações financeiras do que de outros setores, segundo analistas.

O RBS, que detinha 100 por cento do Citizens, vendeu 140 milhões de ações e pode oferecer 21 milhões a mais em uma opção de lote suplementar, o que elevaria os recursos obtidos para 3,5 bilhões de dólares e veria a venda de 29 por cento do negócio norte-americano.

O RBS tem intenção de vender totalmente o Citizens até o final de 2016. O banco foi obrigado por reguladores europeus a vender o negócio como custo por ter tomado 45 bilhões de libras (73,7 bilhões de dólares) em um resgate financiado pelos contribuintes em 2008.

(Por Matt Scuffham e Amrutha Gayathri)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSROYALBANKSCOTCORTEPRECO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.